1/23/2007

Porque é a hora...

...Voto NÃO!!!


- Voto NÃO, porque para mim todas as situações em que considero poder ser necessário recorrer ao aborto já estão contempladas na lei actual.
- Voto NÃO, porque para mim se trata de vida Humana sim! Ou então mostrem-me a possibilidade de vida Humana sem as primeiras dez semanas de gestação.
- Voto NÃO, porque se eu considerasse que é uma decisão que cabe só à Mulher deixaria de poder exigir que todas as crianças nadas tenham direito a ter um Pai.
- Voto NÃO, porque se eu aceitasse que se trata apenas do corpo da Mulher estaria a considerar o feto ao nível de um qualquer parasita!
- Voto NÃO, porque está provado que mesmo os Píses hoje considerados por uma certa corrente como sendo vanguardistas, apesar da legalização do aborto, não erradicaram os abortos ilegais.
- Voto NÃO, porque não posso aceitar que se resolvam problemas sociais através do aborto, mas sim através de políticas sociais. E sei perfeitamente que no caso de ganhar o sim esses problemas sociais serão mais facilmente varridos para debaixo do tapete.
- Voto NÃO, pelos mesmos motivos pelos quais sou contra a pena de morte e a favor da eutanásia. Isto é porque sou a favor da Humanidade e dos direitos individuais de cada ser Humano seja em que fase da sua vida for.
- Voto NÃO, porque aquilo que está em discussão na realidade é a liberalização do aborto e não a sua despenalização, pois todos sabemos ser verdade que até hoje não há registo de alguma Mulher ter sido condenada em Portugal por se ter submetido a um aborto ilegal.
- Voto NÃO, porque não posso trair o meu Eu.
- Voto NÃO, porque sou livre!!!





Para terminar devo dizer que para mim vanguarda seria estarmos a discutir políticas no campo do Social Humanismo que levassem a deixar de existir grande parte dos problemas que levam as Mulheres a recorrer ao aborto. Acho que corremos o risco de deixar de tentar algo grandioso de verdade para a Humanidade à custa de olharmos apenas para o imediato por medo ou falta de coragem de olharmos, (e lutarmos por), algo mais alem.

24 Mordidelas:

Blogger Jane & Cia said...

É uma angústia para mim enorme esta discussão (que por vezes toma ares levianos) em torno de uma questão tão séria.

Ainda não consegui dizer tudo o que penso, nem pensar tudo o que sinto. Sinto que este referento é um engodo, uma grande mentira... atira-se areia para os olhos fingindo que estamos a por nas mãos do povinho a decisão.

A minha revolta é a questão ser tão complexa que seriam necessárias, pelo menos 5 respostas para avaliar o que cada um de nós pensa.

Apesar de não ter uma posição tão radical, concordo com muito do que aqui dizes.

Uma das coisas que mais me faz pensar no Não, é que nunca ninguém, do governo, se preocupou em esclarecer as pessoas, no caso de ganhar o Sim, como é que o sistema iria funcionar: tiraríamos o ticket à espera da nossa vez na marquesa (como acontece em grande parte dos estados da nossa evoluidíssima America...)

O que eu não posso concordar é que seja só chegar e "por opção da mulher" terminar com uma gravidez...

E deixo a questão que também aqui é levantada numa forma concreta: Uma mãe não quer, não tem condições, não está preparada... o pai declara que deseja assumir a educação da criança uma vez nascida... mas não há nenhuma lei que possa ajudar este pai se a mulher decidir abortar.

Mais, com a morosidade do sistema de saúde, será que as mulheres que queriam abortar iriam ser atendidas antes das 10 semanas? ou iriam fazê-lo clandestinamente às 12 ou às 13?...

A vacina que pode travar o desenvolvimento do cancro do útero não é comparticipada e o aborto seria?

Quantos abortos pode uma mulher fazer sem que o estado intervenha, 1, 2, 10...?

Já me alonguei mais, e apaguei... talvez volte... mas já tanto foi dito...

23 janeiro, 2007 10:11  
Blogger Belzebu said...

Gosto sempre de aqui vir, mesmo quando não concordo em nada com o que escreves! Desta vez é o caso.
Falas em politicas sociais, falas em respeito pelos direitos individuais, enfim, pura demagogia! O que se trata aqui é de rever uma lei que se mostra ineficaz, que nunca impediu que quem quisesse, abortasse e que apesar de nunca ter levado nenhuma mulher à prisão, já levou muitas aos tribunais e a exposições públicas perfeitamente humilhantes! Se nunca levou ninguém à prisão é mais uma prova de que a justiça e o estado não funcionam e portanto o melhor é acabar de uma vez com a hipócrisia!

Saudações infernais!

23 janeiro, 2007 18:58  
Blogger lince said...

Pois Jane. São bastante pertinentes as tuas questões. Acho que devemos todos continuar a debater de uma forma digna e objectiva esta questão por forma a podermos pronunciar em função de uma séria e profunda reflexão que o tema bem merece que assim seja.
Obrigado pela visita e pelo comentário. Volta sempre.
Bjs.

Belzebu obrigado pela visita. Como deves saber também eu gosto muito que por aqui passes. Mas como é evidente estamos ambos simultaneamente em desacordo.
Para mim demagogia é acharmos que com a alteração da lei vai deixar de haver Mulheres a serem levadas a tribunal. “ com quanto tempo de gravidez consegue uma Mulher saber que está gravida? Qual o tempo que terá de esperar uma Mulher depois de descobrir que está gravida para poder fazer o aborto? Qual a solução para uma Mulher tendo em conta as duas questões anteriores?... aborto clandestino para alem das dez semanas o que continuará a configurar crime.”
Abraço e obrigado pela possibilidade de debatermos.

23 janeiro, 2007 20:25  
Blogger amigona said...

Amigo lince, pela primeira vez, estamos TOTALMENTE em desacordo! E o estranho é que subscrevo quase tudo o que escreves menos o início de cada frase! Não esperava esta tua opção!!!
Considero-te inteligente e por isso não percebo que aches que se o sim ganhar as questões sociais vão para debaixo do tapete!!!!!!!
Já agora e desde o último referendo onde têm estado os movimentos do não? O que têm feito?
E, desta vez, também VÃO DESAPARECER depois do dia 11. E sabes que mais, meu amigo? Eu também sou contra o aborto como tu mas não posso permitir a hiprocrisia de que a Mulher possa ser presa por o fazer...(a lei EXISTE mesmo, lince!!!)... e não posso aceitar que muitas portuguesas que podem vão a Espanha ou outro lado e resolvam o problema enquanto outras (muitas, muitas, muitas)são maltratadas e morrem até por serem mal atendidas...e sabes, mesmo agora e DEPOIS do dia 11 os abortos VÃO CONTINUAR!... O teu NÂO,não vai acabar com esse triste flagelo...continua, ontem, hoje e amanhã...podes votar MAL mas o aborto continua... no vão de escada ou no hospital, tu é que decides... mais uma vez, lamento muito saber-te no outro lado da barricada...lamento...

24 janeiro, 2007 08:30  
Anonymous J. said...

Estou contigo porque... mesmo que nem todos os pontos de vista sejam iguais aos meus, acho que mostras muito bem aquilo que sentes... e um referendo é para isso mesmo... perceber o que a maioria sente

(ainda que a maioria possa estar fatalmente errada)...


Tenho pena que o governo e quem defende o SIM diga que não podemos penalizar o Aborto porque é uma questão de consciência....


.... depois se somos pelo NÃO demonstramos falta de inteligência....


Eu não defendo penas para as mulheres que o praticam... mas infelizmente o referendo não pergunta só isso....

J. de ti

24 janeiro, 2007 09:46  
Blogger Tiago said...

Votas não porque és livre! Se és livre deixa então a mulher ser livre de decidir se deve ou não abortar.
Mais opiniões sobre o assunto brevemente no antitudo...

(www.antitutti.blogspot.com)

24 janeiro, 2007 18:03  
Blogger lince said...

Olá Amigona.
Antes demais quero dizer-te que é sempre um prazer contar com a tua visita e que não será pelo facto de termos pontos de vista diferentes em relação a esta matéria que deixará de assim ser.
Quanto ao teu comentário começo por te dizer que não faço parte de nenhum movimento. No entanto parece-me um pouco injusto questionar onde se meterão os movimentos a favor do não e não o fazer relativamente aos movimentos do sim que também não tiveram outra actividade a não ser aparecer em determinadas alturas para acções de puro marketing. Eu sei que a lei existe e conheço-a, mas o que é verdade também é que a única Mulher que teve coragem em assumir em tribunal que houvera feito um aborto e foi condenada a pena de prisão de quatro meses por essa lei acabou por ver a pena substituída por multa ao abrigo da mesmíssima lei. O que leva a que na verdade até hoje e com a lei de que falas em vigor não ter havido nenhuma Mulher a ser presa. Quer tenha abortado às 10, 12, 18, 20 ou 24 semanas de gravidez. quanto às condições em que se aborta permite-me que te diga que não há nada que te garanta que se vão alterar. Ou seja ninguém sabe qual a participação do estado ao nível de ajuda de custos e disponibilização de meios para que as Mulheres possam abortar em segurança. Ou seja o estado por não ter capacidade para resolver os problemas dessas Mulheres em centros hospitalares públicos muito provavelmente o que irá fazer é criar acordos com clinicas privadas mas deixando sempre uma parte considerável dos honorários à conta da Mulher, mais uma vez iremos ter as desigualdades de que falas no teu comentário. Por fim deixa que eu te diga que sei perfeitamente que o aborto clandestino não irá acabar. Mas não acabará quer ganhe o Não ou quer ganhe o Sim, aliás como podes facilmente verificar pela experiência que têm os países onde o aborto está legalizado. Bjs e mais uma vez te digo que não é por teres um ponto de vista diferente do meu que eu te deixarei de considerar.

Pois J.
Obrigado pelo apoio e é bom saber que não sou o único a estar atento a toda a demagogia que se tem vindo a gerar por todos os quadrantes à volta desta questão.
Volta sempre.

Tiago espero que saibas que tu também és sempre bem vindo por aqui.
Quanto ao teu comentário permite-me só que te pergunte de onde pode advir o direito a uma Mulher de acabar com a vida de um outro Ser Humano?... do facto de, esse Ser Humano nessa fase da SUA VIDA, depender dela?... eu não vejo assim as coisas, nem para a Mulher nem para mim.
Abraço, bem hajas e volta sempre.

29 janeiro, 2007 18:14  
Blogger O Restaurador said...

É com a maior felicidade, com a maior das honras e o maior dos orgulhos que declaro oficialmente aberta a votação para as 7 Maravilhas de Vila Viçosa.

Esta é uma organização do Terras de Mármore que está a ter o apoio do blogues individuais dos autores do Terras de Mármore: A Interpretação do Tempo, Calipole - Vila Viçosa - Princesa do Alentejo, INFOCALIPO, Intervisão, O Restaurador da Independência e Tomar Partido; assim como dos blogues e sites Calipolenses: Daniel Moreira, Grupo Desportivo Bairrense, Neste Meu Alentejo, O Blog de São Romão, O Calipolense Taurino e o Partido Socialista de Vila Viçosa.

Contamos também com o apoio oficial da Associação Juvenil Doutor Jardim e do Grupo Desportivo Bairrense, assim como estamos actualmente em contactos com a Câmara Municipal de Vila Viçosa, Junta de Freguesia de Conceição e Junta de Freguesia de São Bartolomeu, tendo-se mostrado bastante interessadas em cooperar connosco.

Da lista original de 61 monumentos do Concelho de Vila Viçosa, chegam agora à votação final 21 monumentos. Estão representados Vila Viçosa, Pardais e São Romão, não tendo Bencatel nenhum representante nesta lista final. São 21 monumentos que poderão encontrar detalhadamente na barra lateral deste blogue, clicando em cada um para poderem aceder à sua descrição e às suas imagens. Após ter escolhidos os seus 7 monumentos preferidos, envie um e-mail para orestaurador@gmail.com ou terrasdemarmore@sapo.pt indicando o seu nome, a sua localidade e os 7 monumentos que acha que merecem que sejam consagrados como as 7 Maravilhas de Vila Viçosa. Tarefa dificil, nós sabemos.

Cada pessoa poderá apenas votar uma vez, e os resultados das 7 Maravilhas de Vila Viçosa irão ser divulgados no dia 7 de Julho de 2007, em simultâneo com as 7 Novas Maravilhas do Mundo e com as 7 Maravilhas de Portugal. E falando em 7 Maravilhas de Portugal, já votou no Paço Ducal de Vila Viçosa para as 7 Maravilhas de Portugal? Se ainda não o fez, aproveite para votar no site das 7 Maravilhas de Portugal.

Iremos também ter mais iniciativas no âmbito das 7 Maravilhas de Vila Viçosa e das 7 Maravilhas de Portugal que iremos divulgar aqui e nos blogues de apoio atempadamente. E todos vós estão desde já convidados a participar!

Vila Viçosa terra de tradições, história e património, une-se deste modo à votação do Paço Ducal de Vila Viçosa para as 7 Maravilhas de Portugal. Uma das mais belas vilas de Portugal, fulcral no decorrer da história de Portugal, sendo o Rei Restaurador da Independência, D. João IV, natural de Vila Viçosa, assim como muitas outras personalidades portuguesas como D. Catarina de Bragança, Florbela Espanca, Henrique Pousão, Públia Hortênsia de Castro, Bento de Jesus Caraça, Martim Afonso de Sousa Cristóvão de Brito Pereira, D. Constatino de Bragança, Artur Bívar, Túlio Espanca, Nuno Portas entre muitos outros... Venha até Vila Viçosa e faça o roteiro das Maravilhas de Vila Viçosa, visite os 21 candidatos e depois vote nos 7 candidatos seus preferidos. Verá que não se irá arrepender, pois como se canta em Vila Viçosa "... e não há tenho a certeza, terra com tanta beleza, como tem Vila Viçosa!"

Deixo-vos agora a listagem dos 21 finalistas:

* Anta dos Apóstolos (Pardais)
* Capela Real
* Castelo e Torre de Menagem de Vila Viçosa
* Convento dos Capuchos
* Convento e Igreja da Esperança
* Convento e Igreja das Chagas
* Convento e Igreja dos Agostinhos
* Estação Ferroviária de Vila Viçosa
* Estátua Equestre D. João IV
* Fonte da Praça (antiga Fonte do Carrascal)
* Igreja de Nossa Senhora da Lapa
* Igreja de Nossa Senhora da Piedade
* Igreja de São Bartolomeu
* Paço Ducal de Vila Viçosa
* Pelourinho de Vila Viçosa
* Ponte Romana
* Porta do Nó ou Porta da Vila
* Porta dos Nós
* Santuário de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa
* Tapada Real
* Terreiro do Paço

Senhoras e Senhores, os Monumentos estão lançados, podem começar a votar!!!

02 fevereiro, 2007 15:13  
Blogger Mac Adriano said...

Desta vez também não posso expressar o meu acordo. Apesar de concordar que a resolução do problema deveria passar pelas políticas sociais, como posso eu esperar que alguma coisa a esse nível seja feita em Portugal, se mesmo as políticas sociais que já existiam (até em coisas que nada têm a ver com o aborto) têm sido destruídas por estes governos neo-liberais, especialmente pelo governo destes cretinos que tomaram de assalto o PS? E, como tenho a certeza que em Portugal, com aborto ou sem aborto, os problemas sociais vão ser (estão a ser!) cada vez maiores, prefiro a morte de um feto a ver esse feto transformar-se numa criança maltratada ou sem condições de vida e que, muito provavelmente vai desejar muitas vezes nunca ter nascido. Considero esse flagelo (o de haver crianças a viver miseravelmente) muito pior.

03 fevereiro, 2007 02:51  
Blogger Belzebu said...

Eu voto "SIM" porque realmente sou livre!

Voto "SIM" porque não me detenho perante a demagogia!

Voto "SIM" porque a hipocrisia tem que ter um fim!

Voto "SIM", porque as mulheres merecem respeito!

Voto "SIM" porque considero que ninguém deve condenar ninguém sem ouvir as suas razões!

Saudações infernais!

04 fevereiro, 2007 02:20  
Blogger Just an ordinary girl said...

Eu voto SIM porque odeio assistir às dores diárias de pessoas reais em redor de mim.

Eu voto SIM porque sou por PESSOAS felizes, dignas, alegres, realizadas e não sou por vidas= corações que batem, e almas que dóiem!

Não creio em religião, não penso que a Vida seja algo de sagrado e que esteja acima de tudo. Sei que há vidas que nao valem a pena serem vividas. Um coração a bater é vida. Mas uma PESSOA é um coraçao a bater, junto com um cerebro capaz, junto com a capacidade de viver emoçoes...

05 fevereiro, 2007 22:41  
Blogger lince said...

Antes de mais obrigado a todos.

Mac começo por te dizer que é um prazer para mim ter-te de volta a este cantinho. Obrigado.
Mas é claro que eu também sei que as porcarias que têm passado pelo poder neste país têm vindo a desferir constantemente ataques descarados às políticas sociais e que por isso se afigura quase como utópico defender um estado mais social para este mesmo país. Mas não vai ser por isso que eu deixarei de lutar por tal, ou tão pouco alterarei a minha forma de estar e pensar. Também a mim dói ver qualquer ser e muito mais criança a ter uma vida de sofrimento mas não me passa pela cabeça que para as evitar a única solução seja a de lhes cortar o direito à vida. Nesse sentido é que eu voto não à liberalização do aborto. Até porque se é verdade que caso vença o não, não deixará de haver abortos ilegais neste país, também é verdade que no caso de vencer o sim não deixará de haver crianças mal tratadas e a sofrer entre nós.
Abraço companheiro e espero que voltes sempre.

Belzebu parece-me que sempre foi evidente o meu respeito por todos os outros. Sobre tudo por todos aqueles que respeitam o próximo. Por isso é claro para mim que todos somos livres de votar da forma que quisermos. Agora permite-me que te diga que quanto a mim demagogia há pelo menos de ambos os lados e hipocrisia também. E também eu votando não respeito as Mulheres, tenham elas que tempo de vida tiverem, mas esse meu respeito por elas não passa por lhes conceder o direito de, por única e exclusiva vontade sua, interromper a vida de outrem. Quanto ao condenar alguém sem ouvir as suas razões não me parece que as coisas ainda funcionem assim, mas tu poderás ter crido dizer algo diferente daquilo que eu entendi.
Saudações amigáveis e não deixes de voltar.

Just an ordinary girl estou de acordo contigo em parte e noutra parte em completo desacordo. Eu também sofro com as dores diárias de qualquer ser humano. Eu também defendo que todos temos o direito de nos sentirmos realizados e felizes e eu também não creio em nenhuma religião.
Mas para mim a vida de outro está a cima de tudo sim. Excepto quando essa outra vida possa por em risco a minha própria vida de forma intencional. Agora quanto às vidas que não valem a pena ser vividas só elas próprias podem fazer essa afirmação e mais ninguém o pode fazer por elas. E como é obvio estou em pleno desacordo com a tua definição de pessoa, até porque conheço várias PESSOAS de quase todas as idades possíveis de imaginares que não se enquadrariam nessa tua definição. E tenho a certeza que por essas tu tens um outro tipo de opinião. Já agora e para terminar deixa-me que te confesse que uma das coisas que mais confusão me mete nesta discussão é verificar o desrespeito da maior parte dos defensores do sim pelos óvulos (ovos) humanos fecundados em contraponto pelo respeito que demonstram pela mesma situação em outras espécies. Ou seja os defensores do sim não consideram crime o facto de se dar cabo de um óvulo humano fecundado, mas se eu roubar um ovo ( quer esteja fecundado ou não ), a um ninho de águia real, são os primeiros a defender a minha condenação quer eu seja Homem ou Mulher. Parece que a definição de vida varia conforme lhes convém.
Obrigado pela visita e espero que voltes sempre.

07 fevereiro, 2007 20:25  
Blogger amigona said...

Meu querido lince tornei a passar por aqui e continuo a não perceber os teus argumentos...tudo aquilo que dizes só podia terminar no SIM...mas não é isso que acontece...não percebo como podes defender este crime horrendo que é o aborto clandestino... não percebo como podes justificar o sofrimento ou a morte das mulheres que tiverem que abortar se as coisas correrem mal (se ganhar o NÂO)...não percebo como podes estar ao lado duma cambada de hipócritas (padres, tias moralistas, senhoras da alta, etc...) em que MUITOS já fizeram (ou levaram a fazer)abortos, alguns nas SUAS próprias clínicas, outros no estrangeiro...NUNCA me passaria pela cabeça que te colocasses ao lado da MENTIRA, HIPOCRISIA, MENTIRA, CRIME...
acho que o que está em jogo é muito sério porque tem a ver com a vida de milhares de mulheres..
venham os incentivos à família, os apoios ao casais, melhores salários, infantários, escolas, uma nova política da saúde,e este país terá os casais a terem, naturalmente, mais filhos!
Até isso acontecer NÂO posso permitir que uma FILHA, ou NETA, ou AMIGA, ou CONHECIDA possa ser condenada em tribunal(mesmo que tu aches banal que uma que foi a tribunal viu a sua pena ser substítuida por multa!!!!- como podes dizer isto lince?!!!!!!!!)
Não percebo como podes CONDENAR as mulheres da tua família ou as tuas amigas?!!!!!!!
Não te compreendo lince, não compreendo...aprendi a gostar de ti ao longo das tuas mensagens e agora sinto-me perdida! QUE FOI QUE TE ACONTECEU?

Sou pela VIDA, enquanto MULHER, MÂE, AVÓ, PROFESSORA, CIDADÂ... não admito que me chamem o que andam para aí a dizer!
Por isso voto SIM!

07 fevereiro, 2007 21:19  
Blogger amigona said...

Ainda voltei, lince!!! Ouvi uma "pérola" no rádio. Dizia alguém no Algarve vida: (acho que é este o nome!)- Já fiz SETE abortos, sei melhor que ninguém o que é esse trauma e como as mulheres ficam depois desses momentos. Por isso voto NÂO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Por último meu amigo (esta será a minha última participação)deixo-te o meu CARTÃO DE VISITA:
sou MULHER, MÃE babada e orgulhosa de TRÊS filhos lindos (hoje com 33, 31 e 28 anos!)e AVÓ/mãe enamorada de uma neta lindona,filha da minha filha que na altura tinha DEZASSETE anos e era solteira e estudante! Quando a minha filha me participou (a medo)a sua gravidez a seguir ao abraço fomos comprar uma prenda para o bébé!!!! Como vês sei do que falo! Mas por isso não me arrogo no direito de condenar as mulheres que, ao contrário de mim, se vêm obrigadas a abortar...continuo a lamentar que estejas no outro lado da barricada...continuoa lamentar que estejas CONTRA nós!!!
Beijo...

07 fevereiro, 2007 23:24  
Blogger Carmen said...

Para evitar repetições faço minhas as palavras do Belzebu e da Amigona.
Como eles voto SIM, mas reconheço que apesar da discordância este é um texto inteligente e sereno, ao contrário do muito que tenho lido por aí!

08 fevereiro, 2007 17:27  
Blogger Dark Blue said...

Há milhares de razões para se votar SIM e outros tantos milhares para se votar NÃO. Mas francamente estou-me nas tintas para todos eles!

Apenas consigo pensar numa questão: Não tenho nada a ver com quem aborta ou não, se uma mulher está grávida e decide abortar o que é que eu tenho com isso? Que conheço eu da vida dessa mulher para a condenar o aplaudir?

SOU CONTRA O REFERENDO! Vou votar SIM, acho que é uma estupidez legislar, julgar, punir um acto destes. Acho que a Lei está errada a todos os níveis, em vez de punição deveria haver aconselhamento/encaminhamento.

SOU CONTRA O REFERENDO, pois acho que esta questão deveria ser tratada de outra maneira, não com liberalizações nem com prizões.

Voto SIM porque o referendo está aí, porque é o mal menor, porque depois do NÃO ter ganho o último nada se fez para terminar com este flagelo e ter a certeza que o mesmo se passaria desta vez.

Claro que se for eu o pai estarei contra o aborto, mas voto SIM porque não quero ficar com o ónus de julgar os outros.

Voto SIM porque no fundo acho que cada um sabe de si.

Fica Bem!

10 fevereiro, 2007 18:02  
Anonymous antonio pedro ribeiro said...

eu votei SIM, mas isso não me impede de respeitar posições contrárias e de te mandar um abraço fraterno.
http://partido-surrealista.blogspot.com

13 fevereiro, 2007 01:05  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Postei sobre isso, com o título pelo SIM e pelo NÂO e esse assunto me fez escrever mais ou menos alguns kms nos posts de um amigo que resolveu fazer campanha a favor, mas declaradamente negava-se a escutar a opinião contrária... No final, para além de tudo, como se não bastasse o país injetar dinheiro público em algo que diz respeito ao que o país paga aos parlamentares para resolver e apenas naquilo que compete, que é a segurança e saúde do povo, o blebiscito deu-se com um percentual muito abaixo dos 50% e ainda assim, levarão em conta...

Pode???

Beijinhos,
Cris

13 fevereiro, 2007 22:19  
Blogger A. said...

Sim...



mas sempre aqui para te deixar um abraço forte meu amigo.

estive fora em tarbalho.mas já estou de volta.




um beijinho.
ana.

15 fevereiro, 2007 02:20  
Blogger carmo said...

jane & cia: "E deixo a questão que também aqui é levantada numa forma concreta: Uma mãe não quer, não tem condições, não está preparada... o pai declara que deseja assumir a educação da criança uma vez nascida... mas não há nenhuma lei que possa ajudar este pai se a mulher decidir abortar." - para quem acha que a solução é criminalizar, a minha pergunta é: então e quando o pai incita a mulher grávida a abortar e esta o faz (e não estou a falar em casos em que a mulher é obrigada, mas em casos em que o casal decide em conjunto)? expliquem-me, defensores do "Não", porque havemos de penalizar a mãe, mas não o pai? se o pai deve estar presente em todos os momentos da decisão, se o pai pode optar por ter a criança mesmo contra a vontade da pai, se a opinião do pai deve sempre ser tida em conta, a minha pergunta é: porque é que os defensores do "Não" não defendem a penalização do pai também? o pai pode decidir se quer ter a criança e é aplaudido, mas se optar também ele pelo aborto não é penalizado. hipócrita e descabido no mínimo.
lince: "Eu sei que a lei existe e conheço-a, mas o que é verdade também é que a única Mulher que teve coragem em assumir em tribunal que houvera feito um aborto e foi condenada a pena de prisão de quatro meses por essa lei acabou por ver a pena substituída por multa ao abrigo da mesmíssima lei." - portanto, a mulher foi penalizada, meu caro. sim, foi criminalizada. o facto de não ter sido presa, quanto a mim, acaba por ser de somenos importância. ela foi JULGADA, HUMILHADA, e sim, foi CONDENADA!
eu duvido que alguma vez fizesse um aborto, para além das hipóteses contempladas por lei. confesso que só não digo "nunca", porque já se sabe, "nunca digas nunca". mas como futura jurista, não conseguiria jamais (aqui, sim, atrevo-me no "nunca") condenar ou sequer julgar criminosa uma mulher que, por vicissitudes da vida (e não porque se apetece, porque mulher alguma, no seu estado normal, faz um aborto de ânimo leve), opta, penosamente (não duvido disto), pela via do aborto.
e muito menos posso admitir ainda que se relegue uma mulher para condições hediondas, em que se sujeita a múltiplos problemas de saúde, e até à morte, em consequência de um aborto ilegal, clandestino e vergonhoso. aqui, sim, atenta-se contra a dignidade de uma vida humana, a da mulher.
não, não caio no argumento de que a vida só começa às "x" semanas. a vida é sempre vida, sem dúvida. mas faço minhas as palavras do "mac adriano". não defendo a vida só pela vida. defendo a vida pela dignidade, pelo amor, pelo carinho, pelo apoio, pela vida propriamente dita, não pelo abono adicional que a família recebe por mais um ilho (e sim, isto acontece). não pelo "mais um pra alimentar e levar porrada". não por uma educação negligente e até violenta. avida, quando o é, deve ser para ser vivida, e não andar cá só por andar.
um abraço.

17 fevereiro, 2007 13:48  
Blogger Dark Blue said...

Caro Amigo, passei por aqui para te convidar a assinar a petição da "An Inconvenient Truth" que tenho no meu blog.

Esse sim é um tema que todos deviam prestar muita atenção.

Fica Bem!

04 março, 2007 20:10  
Blogger amigona said...

Hoje vim visitar-te...fui recordar o que escreveste há um ano atrás...gostei...um beijo...

08 março, 2007 08:28  
Anonymous Deus said...

Votas "não" porque és uma besta!

16 março, 2007 02:32  
Blogger MRelvas said...

Já passou o tema, mas eu VOTEI NÂO!!

Abraço

MR

28 maio, 2007 09:59  

Enviar um comentário

<< Home